Ainda existe uma certa resistência quando o assunto é análise de uma grande quantidade de dados. Para muitas empresas, esse é um ponto tão complexo à primeira vista que imaginam que o custo para implementar a tecnologia, o esforço desprendido para isso, não valerá a pena. Outras companhias acham que já estão tão atrás da concorrência nesse quesito que não vale mais a pena. A verdade é que independente do negócio da empresa, haverá um espaço para a análise de dados. A dificuldade mesmo é saber começar e extrair valor de verdade em diversas perspectivas como: segurança, arquitetura e negócios.

Na tentativa de estabelecer melhor os fatos relacionados ao Big Data e à utilização de dados de máquinas, o Gartner publicou dois relatórios, ambos cobrindo alguns mitos sobre o impacto dessa análise de dados e infraestrutura da informação.

Separamos então os itens mais importantes para que você fique por dentro dos fatos e saiba se posicionar com relação à concorrência:

  1. Estamos juntos com a concorrência

O interesse nas tecnologias e serviços de Big Data está cada vez mais alto, segundo o Gartner, 73% das empresas estão investindo ou planejam investir nessa área, contudo, a maior parte dessas empresas ainda está nos estágios mais primitivos da tecnologia. O fato é que as pessoas estão erradamente preocupadas com a competição estar melhor em termos de Big Data. Na pesquisa realizada pelo Gartner, apenas 13% das empresas de fato implementaram algo relacionado à tecnologia.

“O maior desafio para as empresas é determinar como obter valor dessa tecnologia e como começar a utilizar. Muitas empresas acabam presas nos estágios iniciais porque não conectam a tecnologia a procedimentos do negócio e nem casos reais de uso”, diz o Gartner.

Conclusão: Você não está atrasado. Crie uma estratégia sólida, baseada em utilização real da tecnologia, que envolva tanto o TI quanto o negócio.

  1. Pequenas falhas fazem diferença

Algumas pessoas pensam que, devido aos números gigantescos, falhas individuais de dados são insignificantes e não influenciam na análise. É verdade que, no Big Data, cada falha individual possui um impacto muito menor no cenário global de dados, contudo, também existem mais falhas, já que existem mais dados.

Conclusão: Preocupe-se com a qualidade dos dados, estabeleça níveis de qualidade.

  1. Big Data não irá eliminar a integração de dados

Existe uma esperança de que o Big Data integre os dados não estruturados, lendo a mesma fonte a partir de diferentes modelos. Essa flexibilidade permitiria que os usuários interpretassem quaisquer dados, da forma e no momento que quisessem, fornecendo uma experiência personalizada.

Contudo, na realidade, a maior parte dos usuários se baseia em um esquema no qual os dados já são previamente selecionados e armazenados de acordo com as necessidades.

Implementar o Big Data em sua empresa é mais fácil do que você imagina

Hoje o Big Data é uma tecnologia bem desenvolvida. Já existem milhares de casos de utilização em todo o mundo. Diversas empresas, em diversos setores de negócio estão minerando quantidades massivas de dados de máquinas e transformando em valor para o negócio. Para Dany Hel Figurello, Arquiteto de Dados e Gerente de produtos Splunk da Real Protect, a preocupação das empresas precisa estar direcionada para a extração de valor das análises, e não com volume e variedade das informações geradas:

– Na Real Protect, nós utilizamos o Splunk como plataforma de Big Data para segurança, assim podemos analisar as informações geradas por nossos clientes. Tivemos que migrar para o Big Data por uma necessidade técnica. O SOC da Real Protect enfrenta um crescimento de dados diário. Esses dados precisam ser analisados e correlacionados. As tecnologias tradicionais sempre acabavam engasgando e atrapalhando as necessidades do negócio. Hoje a Real Protect é parceira premier da Splunk, uma parceria que nos permite levar aos nossos clientes uma plataforma inovadora e que transforma a análise de dados em valor real para o negócio. – complementa Figurello.

De forma bem resumida, o Splunk acaba sendo o “Google” dos dados de uma empresa. Por meio de uma console bem simples é possível localizar os dados a serem analisados, seja por data, por fonte, ou outros parâmetros requeridos. Uma grande vantagem é a possibilidade de correlacionar os dados com diversas fontes, trazendo respostas em real time, ajudando na tomada de decisões. Por ser uma plataforma, a Splunk acabou agregando uma forte comunidade desenvolvedora, que cria diversos aplicativos para a Plataforma, atendo as necessidades de negócio das mais diferentes empresas. “A utilização do Splunk na Real Protect foi tão bem sucedida que hoje nos especializamos na plataforma, oferecendo o serviço para clientes das mais diversas áreas.” finaliza Dany Hel.

splunk_data_sources