A Trend Micro, em conjunto com a Organização dos Estados Americanos (OEA), publicou uma pesquisa realizada sobre o estado da segurança das infraestruturas críticas nas Américas. O Brasil ganhou uma pesquisa aprofundada sobre a segurança em infraestruturas críticas e sistemas SCADA, de todos os participantes, a maior parte foi do Brasil.

O relatório oferece uma perspectiva única sobre os ataques cibernéticos que atingiram infraestruturas críticas nas Américas. Os 500 entrevistados enfatizaram um dramático aumento na sofisticação dos ataques cibernéticos. O mais preocupante foi o fenômeno descrito como o significativo aumento dos ataques destrutivos – ataques cibernéticos que pretendiam “apagar ou destruir” sistemas de apoio. Mais de 1/3 dos entrevistados não se sentiam seguros para afirmar se foram ou não atacados.

Outro ponto interessante é que os ataques são baratos para quem executa, e caros para quem sofre. As ferramentas de ataque custam entre U$ 225 e U$370, enquanto o custo médio de um ataque é de U$5,9 milhões.

Dados do Brasil, Chile e México, revelaram que a maioria das vulnerabilidades estão relacionadas com configurações de sistema erradas, seguida por problemas de versões e aplicações desatualizadas. No entanto, esses problemas estão associados a um nível de risco maior. 60% das vulnerabilidades que expõem brechas poderiam afetar a confidencialidade das informações. 30% das vulnerabilidades representam uma ameaça contra a integridade, enquanto 10% delas são fragilidades que podem ser aproveitadas por ataques contra a disponibilidade de informações e serviços.

Confira o relatório completo: http://visit.trendmicro.com/JX3WCZ005D0Qzfm0X3000T0