Um novo estudo sobre o impacto global do cibercrime foi publicado nesta semana, e concluiu que o custo estimado de perdas em todo mundo é de mais de U$ 400 bilhões. Esse valor é maior do que o PIB de diversos países, além de ser semelhante à estimativa que a UNODC possui para o tráfego de drogas no mundo. A pesquisa foi realizada pelo Centro Internacional de Estudos Estratégicos (CSIS), com o auxílio da McAfee e também com o suporte de um time de economistas e especialistas em propriedade intelectual. De acordo com o relatório, só nos Estados Unidos, o custo é de cerca de U$ 100,4 bilhões, o que corresponde a 0,64% do PIB do país.

Os números apresentados são maiores do que outras estimativas recentes. Contudo, o CSIS alega que os autores foram além das preocupações puramente materiais que estão ligadas ao cibercrime, como custos com recuperação e resposta a incidentes. O escopo do impacto econômico foi alargado, e questões como roubo de propriedade intelectual e perda de oportunidades de longo prazo. Os economistas e especialistas em propriedade intelectual entraram em consenso, o cibercrime é uma barreira para a inovação, e diminui o ritmo global de inovação reduzindo a taxa de retorno para os inovadores e investidores.

Uma informação relevante oferecida pelo relatório é que, nos Estados Unidos, as perdas geradas pelo cibercrime acabam afetando também o mercado de trabalho. Os 0,64% de impacto gerado no PIB do país correspondem a cerca de 200.000 vagas de trabalho.

Segundo o estudo, as ideias são o capital da era da informação, e essas ideias estão sendo roubadas e levadas para outros locais. Empresários e startups são provavelmente os mais vulneráveis, pois possuem informações altamente valiosas e não possuem os meios de se defender contra ataques direcionados.

Para Tiago Silva, gerente de marketing da Real Protect, o aumento do mercado relacionado ao cibercrime é uma tendência que deve se manter:

– Os hackers têm atualmente como objetivo o ganho financeiro, a notoriedade que buscavam antigamente, ou os danos que causavam por diversão, não são mais o foco. Hoje, com as informações sendo transmitidas online e acessadas de qualquer lugar e a qualquer hora, junto com a impunidade, acabam influenciando a atividade de cibercrime. Os ganhos são altos e as ferramentas estão disponíveis nos mercados negros para qualquer um com más intenções.

Veja o relatório completo

201307231046530caqeel55hi0owy55qjekb455