Banco deve receber críticas pela demora em revelar o ataque, ocorrido em maio

O Citigroup informou que hackers invadiram sua rede de computadores e ganharam acesso a dados de cerca de 200 mil donos de cartões bancários na América do Norte. A empresa financeira informou que nomes de clientes, números de contas e informações de contato, entre as quais endereços de e-mail, foram obtidos como resultado da invasão.

Segundo o jornal Financial Times, o ataque foi descoberto pelo banco no começo de maio. No entanto, a empresa informou que outros dados como datas de nascimento, números de previdência social, datas de vencimento e códigos de segurança dos cartões não foram comprometidas.

Sean Kevelighan, porta-voz do banco nos Estados Unidos, diz que a companhia está entrando em contato com os clientes que tiveram as informações furtadas.

– Para a segurança desses clientes, não estamos revelando outros detalhes.

O Citi não revelou de que maneira ocorreu a brecha. Outro porta-voz do banco, James Griffiths, em Hong Kong, disse que o ataque havia afetado 1% por cento dos portadores de cartões bancários da companhia na América do Norte, um total de 21 milhões de correntistas, de acordo com o balanço anual do grupo.

Mas, como no caso do grupo japonês de entretenimento e eletrônica Sony, que revelou diversas violações de segurança em suas redes nos últimos meses, o Citi pode sofrer críticas pela demora em informar seus clientes.

Dan Simpson, porta-voz do Consumer Action Law Center, um grupo australiano de defesa do consumidor, diz que “isso pode ser assunto do banco, mas são informações pessoais dos consumidores, e eles merecem ser informados sobre violações de segurança imediatamente”.

– É difícil ver motivo para que esse tipo de violação de segurança não tenha sido revelado muito mais cedo.

O Citi anunciou que tinha descoberto o acesso não autorizado ao Citi Account Online, um serviço bancário online, como parte de sua fiscalização de rotina.

Copyright Thomson Reuters 2011