Criminosos capturaram dados de um senador, além de nomes e senhas de 200 mil jogadores de títulos da Bethesda.

O grupo de hackers Lulzsec, que já atacou a Sony e o FBI, entre outros, continua a atormentar os responsáveis pela segurança virtual das empresas e instituições. Nesta segunda (13/6), eles publicaram dados obtidos de servidores que pertencem ao senado norte-americano e à empresa de games Bethesda.

Segundo a porta-voz do senado dos EUA, Martina Bradford, os crackers (os hackers “do mal”) invadiram a conta de um senador (que não teve seu nome divulgado) e então executaram comandos no servidor da instituição. Mas, como os senadores têm acesso limitado à rede, o Lulzsec não parece ter conseguido muitas informações, afirma Martina.

“Os invasores só conseguiram ler arquivos e tiveram acesso à estrutura de diretórios dos documentos localizados no endereço senate.gov”, afirma. Os especialistas da instituição teriam identificado o ataque no final de semana e imediatamente corrigido a vulnerabilidade que foi explorada.

Quanto à Bethesda, que oferece o RPG Elder Scrolls, o ataque parece ser ainda mais grave. Segundo o grupo, que divulgou algumas das informações obtidas, toda a base de senhas de jogadores foi capturada. Ou seja, eles teriam nomes e senhas de 200 mil usuários. A empresa ainda não se manifestou sobre o caso.

A onda recente de ataques na Internet inclui vítimas como o FMI (Fundo Monetário Internacional), Acer e Citigroup, além da rede do PlayStation, da Sony, ação que atingiu milhões de usuários.

Por IDG News Service