A vida imita a arte. Na década de 80 um filme trouxe impactos reais para a política de cybersecurity no mundo, no filme, um adolescente invadiu o NORAD e quase iniciou uma guerra nuclear. O então presidente dos Estados Unidos ficou tão impressionado com o Filme War Games (Jogos de Guerra) que assinou a lei CFAA – Computer Fraud and Abuse Act, uma lei que dificulta o trabalho dos pesquisadores de segurança até hoje.

Outros filmes mais leves, até com estética de filme B, como por exemplo o Hackers com Angelina Jolie, influenciaram uma geração de profissionais a trabalhar com cybersecurity. Em uma das edições da RSA um grupo de participantes chegou a alugar um cinema nas redondezas de San Francisco para passar Hackers como um momento de confraternização.

Mesmo que esses filmes e séries sejam muito fora da realidade, é fato que são importantes para passar uma mínima noção até mesmo de que a cybersecurity existe e pode influenciar a vida das pessoas. Com isso em mente, vamos a nossa lista:

 

1 Hackers

O famoso filme com a Angelina Jolie conta a história de um grupo de hackers white-hat que estão batalhando contra um hacker black-hat, que por razões nunca explicadas, quer roubar 21 milhões de dólares. O filme é um típico filme B, mas a estética carregada de personalidade, as frases de efeito, foram importantes para despertar o interesse de toda uma geração na década de 90.

 

2 V de Vendetta

Nenhum hacker está presente nesse filme e não tem nada a ver com segurança da informação, mas é uma visão de um futuro distópico e o herói usa a máscara do Guy Fawkes, representando a visão de um futuro a ser evitado. O filme se tornou uma referência de cultura pop durante o Occupy Wall Street e um favorito entre os primeiros membros do Anonymous como símbolo de rebelião contra a “opressão do governo”.

 

3 The Matrix

Você tomaria a pílula azul ou vermelha?

Hacking não é o tema central desse filme icônico sobre um mundo onde uma inteligência artificial escravizou os humanos e condenou a humanidade a viver em um ambiente virtual indistinguível do mundo real. As metáforas de Matrix embasam discussões sobre malware e a natureza das experiências humanas intermediadas por máquinas.

 

Ao passo em que nosso mundo se torna cada vez mais conectado, esses dilemas vão se tornando mais palpáveis. Estamos vendo o que é real ou que alguém acha que você deve ver? Tanto propaganda direcionada como malware caem nessa categoria.

 

4 War Games

“Você gostaria de jogar um jogo?” o terminal pergunta ao jovem Matthew Broderick. Ele então responde “Vamos jogar Guerra Termonuclear Mundial”. Assim o filme começa. Quando um jovem hacker, que tinha como maiores crimes hackear suas próprias notas na escola, descobre um novo servidor online, ele que jogar um jogo divertido, até que entende que está conversando com o computador da NORAD.

 

5 Mr. Robot

Aparentemente inspirado pelo jornalista americano Barret Brown, que não sabe como hackear e nem tem conhecimento técnico, admitido publicamente, MR. Robot fez um grande barulho na comunidade de cybersecurity porque os consultores técnicos da série fizeram um grande esforço para manter os detalhes técnicos os mais fiéis e verídicos possível.

 

Diversos profissionais de segurança adoram decupar o programa, checando detalhes técnicos e muitas vezes verificando como são de fato plausíveis. Muito mais do que assistir um ator balançando os dedos num teclado e gritando “ENTREI”, nós somos apresentados a telas que parecem muito mais um Kali Linux do que um tela fantasiosa de Matrix.

 

6 In Ascolto

Esse é um filme europeu, mais precisamente Italiano. O filme fala sobre um agente da NSA que abandona a agência e passa a realizar ações de contrainteligência. O filme é mais arrastado e menos dinâmico que os americanos, mas em compensação as informações e os métodos de atuação da NSA são expressos de forma mais fidedigna.

 

A vida imita a arte

 Filmes de hacker nos trouxeram o CFAA, Anonymous, estética, cultura e contracultura e serviram para atrair atenção para a comunidade de cybersecurity.