Estar conectado a todo instante é uma necessidade atualmente. Mas como as redes móveis de smartphones e outros dispositivos móveis geralmente não dão conta do recado, estamos sempre em busca de pontos de wi-fi para conseguir uma conexão melhor. Como não poderia deixar de ser, os criminosos viram essa tendência e descobriram uma forma de explorar esse comportamento a fim de conseguir dados, informações sigilosas e o que mais quiserem descobrir sobre as vítimas, eles criaram as chamadas Redes Clones.

Como funciona

Um criminoso pode facilmente criar uma rede wi-fi falsa a partir de um smartphone ou outro dispositivo, como um notebook ou roteador. Ele se posiciona em algum local próximo de onde a vítima vai utilizar a conexão sem fio, descobre o nome da rede que quer imitar e então cria uma rede com o mesmo nome, a fim de que o usuário se conecte à esse rede falsa ao invés da original.

Para o usuário, a rede falsa é idêntica à original e possui sinal forte, já que o criminoso se posiciona próximo à vítima, às vezes, o sinal da rede falsa pode ficar mais forte até do que a original. O usuário grande parte das vezes busca se conectar à rede que possui sinal mais forte.

Quando o usuário se conecta a esse rede, o criminoso pode facilmente instalar malwares, roubar informações sigilosas e interceptar dados de operações bancárias e compras.

Como é possível se proteger

Essas redes clones são uma realidade hoje. Cada vez mais as pessoas utilizam dispositivos móveis, essa mesma técnica serve para interceptar dados tanto de notebooks como de celulares, por exemplo.

Para minimizar os impactos causados por esse golpe, quem acessa a internet em pontos públicos de wi-fi deve evitar realizar compras e utilizar o banco online. Para os usuários corporativos, é imperativo que os dispositivos móveis e notebooks contem com proteção, além de realizarem a conexão para a internet por meio de uma VPN segura.