Você já deve ter ouvido falar em ransomware. Este tipo de malware tem se tornado cada vez mais prejudicial para usuários comuns e empresas, que precisam pensar constantemente na segurança de suas informações.

O cenário das ameaças virtuais vem mudando quando se fala em ransomware. Em 2015, outras variantes do malware foram encontradas. Neste cenário, é necessário saber cada vez mais sobre esta praga a fim de proteger a segurança digital da sua empresa. Conheça, então, os principais riscos que os mais variados tipos de ramsonware podem trazer aos usuários.

O que é ransomware?

O ransomware é um dos tipos de malwares existentes. Sua função é “sequestrar” o computador ou smartphone do usuário, bloqueando o dispositivo a partir de um local remoto. Desta forma, o usuário só volta a ter controle sobre o aparelho se pagar o valor exigido pelo cracker.

A forma de infecção do ransomware, tanto para usuários comuns quanto para empresas, é a visita a sites maliciosos. Isso acontece ao clicar num link malicioso, que pode estar presente num e-mail, mensagem instantânea, rede social ou site.

Novos riscos

Diversos tipos de ransomware são criados todos os anos. Em 2015, novas ameaças apareceram e é necessário cuidar com a segurança das informações. Veja algumas novas formas de ransomware:

  1. torrent locker – novas variantes deste tipo de ransomware atacaram alguns países do mundo em 2015. A infecção ocorre a partir de sites falsos que imitavam as páginas de governos daqueles países. Ao clicar no link, o usuário é redirecionado a um site enganoso que pede a inserção de um código captcha. Ao inserir corretamente, o ransomware se instala no computador e é pedido que o usuário compre bitcoins dos links sugeridos. Após a compra, os hackers redirecionam o valor para suas contas e é enviado um código para decodificar os arquivos. Caso contrário, os arquivos são destruídos;
  2. CTB-Locker – nova versão do ransomware Onion, também conhecido por Critroni, que apareceu ainda em janeiro de 2015. O CTB-Locker utiliza-se da rede The Tor Project para tornar-se mais difícil de ser detectado e removido da máquina. O pagamento é aceito somente em bitcoin, por ser uma moeda criptografada cuja identificação por parte da polícia é mais difícil. Algumas novidades foram implementadas nesta versão do ransomware, como a possibilidade de o usuário escolher cinco arquivos para descriptografar sem a necessidade de pagamento. Além disso, a mensagem pode ter seu idioma alterado para italiano, alemão e holandês.
  3. SLocker-DZ – este é um ransomware específico para Android, que pede um resgate de US$ 500,00 para liberar os arquivos do smartphone. A infecção ocorre por um suposto pedido de atualização do Adobe Flash Player. Ao executar o upgrade, uma mensagem falsa aparece, dizendo que há vários conteúdos pornográficos no dispositivo. Neste exato momento, os arquivos são criptografados e os botões de menu e de voltar são bloqueados. Caso os hackers identifiquem a tentativa de desbloqueio do dispositivo, o valor do resgate triplica, chegando a US$

Não pague o resgate

Infelizmente, na maioria dos casos, as vítimas do ransomware decidem pagar os vigaristas porque a ameaça de perder todos os seus arquivos importantes é grande demais. Em outros casos, as vítimas entram em pânico e pagam, acreditando erroneamente que a ameaça está vindo de alguma agência governamental legítima.

A boa notícia: A Trend Micro fornece um toolkit anti-ransomware GRÁTIS para ajudar você a remover o software malicioso de seu dispositivo, para que você possa recuperar o uso de seu dispositivo e/ou dados, sem pagar o resgate.

Acesse essa página para saber mais ou baixar a ferramenta Trend Micro™ Anti-Ransomware (em inglês).